sexta-feira, 26 de novembro de 2010

E-TECIDOS REVOLUCIONAM COMPUTADORES DE VESTIR

Tom Martin e Meghan Quirk trabalham em seu tear que tece tecidos eletrônicos - uma fita do qual pode ser vista abaixo do braço da pesquisadora. [Imagem: John McCormick.]
e-Tecidos

Mark Jones e Tom Martin são engenheiros, não designers de moda, mas estão construindo os tecidos do futuro. Já apelidados de e-tecidos, são roupas com componentes eletrônicos embutidos. É a versão acabada dos computadores de vestir, voltados tanto para uso militar quanto para uso civil.
Os dois pesquisadores trabalham no Departamento de Elétrica e Engenharia da Computação da Universidade Virginia Tech (Estados Unidos). Martin e Jones estão trabalhando em conjunto com outros pesquisadores da Universidade Sul da Califórnia em um projeto chamado STRETCH.
O objeto do STRETCH (elasticidade) é a fabricação de e-tecidos que se parecerão com equipamentos militares típicos, tais como barracas ou redes de camuflagem. Os sensores e circuitos eletrônicos construídos entre as fibras do e-tecido terão como papel principal o sensoriamento dos sons distantes de veículos inimigos em movimento.

Sensores e circuitos de conexão

Dentro do e-tecido, os sensores e seus circuitos de conexão irão se comunicar uns com os outros para criar padrões de informação. Esta informação poderá então ser convertida por programas de computador em imagens que permitam aos soldados determinar a localização e a distância dos sons captados.
O pedaço de e-tecido que aparece na foto contém um conjunto de microfones utilizados para localizar a direção de uma fonte de som, por exemplo um veículo militar. A placa no centro calcula a direção do som. Fios conectando os microfones à placa fazem parte do próprio tecido. Vários desses conjuntos de microfones podem determinar a localização de um veículo.
"Nós estamos projetando e construindo um protótipo de 10 metros de comprimento para o projeto STRETCH." disse Jones. "O objetivo do projeto é o desenvolvimento de um sistema de e-tecido que seja flexível, de baixo custo e que não dependa de ondas de rádio." O e-tecido está em testes durante este mês de Novembro.

Roupa com detecção acústica

Os militares já possuem sistemas de detecção de sons baseados em ondas de rádio, mas este tipo de comunicação alerta o adversário para a localização de uma unidade militar. Os e-tecidos agora desenvolvidos não produzem ondas detectáveis e também consomem menos energia do que os sistemas de rádio.
A detecção de sons é apenas uma dentre uma infinidade de aplicações possíveis para o e-tecidos. Apenas modificando-se os sensores pode-se fazer com que o e-tecido detecte agentes químicos e até capte sinais de satélites. Os usos industriais possíveis também são inumeráveis.

Computador de vestir

O conceito geral de computador de vestir consiste em uma pequena CPU incrustada na roupa, com conexão para um suporte de cabeça que possui uma tela de cristal líquido. A tela fica na altura do olho do usuário. Mas o projeto STRETCH é algo completamente diferente.
Uma vez que os circuitos e fios são literalmente tecidos entre as fibras do e-tecido, os computadores de vestir podem ser construídos como qualquer roupa comum, seja uma camiseta ou um boné ou qualquer outra peça de vestuário. Estes computadores não conectam o usuário à Internet nem enviam ou recebem e-mails, mas são capazes de executar funções específicas de interesse do usuário.
"Computadores de vestir construídos de e-tecidos oferecem sensibilidade ao contexto." diz Martin. "Eles podem ser projetados para acompanhar os movimentos do usuário e do seu ambiente." Por exemplo, sensores chamados acelerômetros - do tipo daqueles utilizados para acionar os airbags de automóveis - podem detectar alterações na velocidade e na direção. Há sensores visuais que podem projetar imagens para minúsculas telas montadas em óculos. Uma camisa de e-tecido para uma pessoa cega poderá mesmo incorporar pequenos motores vibratórios, como os vibracall dos telefones celulares, que alertam o usuário para aproximação de objetos, pessoas ou veículos.

e-Tecidos de baixo consumo

Faz parte também do projeto a redução do tamanho das baterias utilizadas para alimentar os computadores incorporados na roupa. Os pesquisadores estão também desenvolvendo softwares que identificam os circuitos na roupa depois que as costureiras terminarem seu trabalho. Desta forma os projetistas saberão o que está onde o que depois que a roupa foi terminada.
Os usos potenciais para o e-tecido vão desde o uso diário, como um esportista que poderá ser avisado pela sua meia de sua velocidade e da distância percorrida, até serviços de emergência, tais como uniformes que poderão permitir aos bombeiros mapear seu caminho de entrada e saída dentro de prédios escuros.
Mas os usos mais intensos deverão vir do ambiente industrial. "Por exemplo, plantas de edificações que trabalhadores da construção civil e de manutenção utilizam em seu trabalho podem ser digitalizadas e impressas em computadores de vestir, liberando suas mãos para as tarefas." explicou Martin.

Redação do Site Inovação Tecnológica - 20/11/2002

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seja sempre bem vindo ao meu Blog. Muitíssimo obrigado, pela visita simpática!