domingo, 14 de novembro de 2010

ELKE MARAVILHA "MARAVILHOSA"

Um ícone midiático...desde que surgiu nunca saiu de cena e de moda. Ser diferente no meio da multidão, é coisa facílima, para a performática ELKE MARAVILHA, que está aí, nos encantando a todos, há mais de 40 anos. E leva muito a sério essa questão do estilo. Por isso diz, que "deixa a moda-uniforme para as burrinhas". Coisa, que ela nunca foi...e pelo jeito jamais será!

Foto Divulgação
Nos idos de 1969, recém-chegada ao Rio, ela resolveu mudar o visual e desbravar as avenidas cariocas vestindo roupa rasgada e maquiagem borrada.
Resultado: tomou uma surra feia de um grupo de mauricinhos em Ipanema. "Eu morro, mas não viro normalzinha, arrumadinha. Minha roupa é alma, é expressão. A modinha-uniforme eu deixo para as burrinhas sem personalidade", diz.
Foto Divulgação
Anos depois, virou modelo profissional. Desfilou para grandes estilistas entre as décadas de 70 e 80, entre eles Guilherme Guimarães e Zuzu Angel (1923-1976). Inspirou criações de Clodovil (1937-2009), montou figurinos para o grupo performático Dzi Croquettes e ganhou espaço como ícone fashion.
Na passarela e nos editoriais, ela encarnava personagens um tanto sem graça para o seu gosto apimentado, mas a exuberância de Elke Maravilha influenciou os fashionistas da época.
Foto Divulgação
"Depois de um certo tempo, minhas loucuras acabavam sendo incorporadas às fotos, as pessoas me achavam muito criativa. Mas às vezes tinha de botar um terninho e me sentia ridícula."
Seus looks, segundo ela, são um misto de escavação arqueológica, elementos religiosos e folclore, tudo temperado com um olhar novo.
Foto Divulgação
"Pego as referências, dou uma remexida e jogo tudo para o futuro. Fui pioneira da roupa multicultural."
Elke conta que escolhe seu figurino a partir do que está sentindo no dia. "Defino a minha roupa a partir do meu espírito. Às vezes, até ponho na mala mais de uma roupa para escolher quando vou participar de algum evento."
Foto Divulgação
Gosta de ter pelo menos uma hora para se arrumar e maquiar, "mas posso fazer até em 20 minutos". "Querem que a gente use só o cabelo da cabeça. Mas eu acho isso mixo. Gosto de aplique."
Musa de estilistas contemporâneos como Ronaldo Fraga e Walério Araújo, diz que se emociona com as homenagens e adora quando aparece um convite para desfilar.
Foto Divulgação
"Ai, criança, a veia aqui ainda dá pinta na passarela", diz, soltando uma contagiante gargalhada. (VW)

2 comentários:

  1. eu adorei, elke é uma mulher e tanto,misto de sabedoria,personalidade e bom humor

    ResponderExcluir
  2. Maravilhosa essa é grande artista e pessoa humana,fico triste que nossas emissoras de tv nem lembrem dessa Dama da televisão.Adoro seu trabalho.Vivo catando notícias dela .Paulo

    ResponderExcluir

Seja sempre bem vindo ao meu Blog. Muitíssimo obrigado, pela visita simpática!