sexta-feira, 3 de agosto de 2012

ESTILO & DESIGN

Montagem com imagens da Galeria do Google
 Ao desenvolver uma coleção de vestuário, seja a empresa de qualquer segmento ou porte, muitos aspectos devem ser considerados. Mas, sem sombra de dúvidas, um deles, de importância vital, é a diferenciação clara do departamento de criação, do que é estilo e o que é design.
Duas palavras, que se confundem na prancheta, mas com significação totalmente diferentes, que acarreta uma série de problemas conceituais, para o produto, que na maioria das vezes, não se identifica nem com um nem com outro...É mais um entre tantos!
A preocupação das confecções, em sua totalidade, é pura e simplesmente com o estilo. Entretanto, se o estilo, não vier ligado a um design coeso, inteligente, certamente a sua roupa tem tudo para dar errado. E sempre dá! Como disse, é só mais uma peça, no meio de tantas outras...
Quem trabalha com consultoria de estilo ouve quase todos os dias pérolas do tipo “Por que a minha loja não vende tanto, quanto os meus concorrentes, se eu faço as mesmas peças, que as dele?” Deve ser porque exatamente, você faz as mesmas roupas, que ele. Quem sabe, o público-consumidor do produto dele, não é o mesmo, que o seu? Ou, ao achar que está fazendo as mesmas coisas, está indo em direção oposta ao seu cliente. Ou, ainda, para quem, efetivamente, você produz a sua moda?
Que valores agregados ela traz consigo, a ponto de estimular as pessoas a consumí-la de corpo (literalmente) e de alma? Essas perguntas devem nortear quem cria e serem aceitas pelos empresários do segmento de vestuário-moda.
Imagem: Galeria do Google
Lembremos que trabalhamos “com” e “para” as pessoas. E pessoas supõem sentimentos, por mais circunspectos, que possam transparecer... Ao vestir uma roupa, o homem, a mulher, a adolescente, a criança vestem uma série de signos abarcados ao longo da pesquisa do criador, no que diz respeito ao estilo e, principalmente, no design, além das intrínsecas do seu corpo vestido, com seus respectivos repertórios. Conciliar esses mundos é o propósito de uma “grande” criação, refletida numa peça de roupa.
Criação essa, que não é menor se durar uma estação ou uma época. Apenas foi ao encontro dos anseios de quem realmente importa: o cliente final.
Não à toa, o tailleur de Chanel, o corte enviesado de Madeleine Vionnet, o estilo Safari de Yves Saint Laurent, as listras de Giorgio Armani estão aí há tanto tempo, reeditados, relidos e revistos, em toda temporada.
Imagem: Galeria do Google
Design é um conceito mais amplo que estilo, enquanto um - o estilo - se preocupa com a aparência do produto, gerando deslumbramento ou indiferença, de uma forma superficial, o outro - design - se detém  no "além da aparência", ele cala mais fundo ao coração, vai ao cerne da idéia, contribuindo tanto com a sua utilidade, na proposta, quanto com a sua aparência, enquanto efeito.
Uma roupa, por mais linda que seja, se não for prática, usável e vendável, não interessa ao mercado. Por isso, estudiosos do setor, também, prestam atenção a esse respeito..Um produto perfeito, para Kotler, é aquele que consegue fazer a simbiose entre um bom estilo e um bom design, porque podem atrair a atenção, melhorar o seu desempenho, cortar custos de produção. Além de dar forte vantagem competitiva no mercado-alvo.
No Brasil, ainda há o ranço de que para ser bonita a peça deve ter traços americanos ou europeu, o que é muito fácil  para os pseudos estilistas, que se autodenominam fashion designers viajarem aos grandes centros de moda, às feiras específicas do setor, comprarem um "sem fim" de peças, revistas, catálogos e no esquema "copiar e colar", desenvolverem suas coleções, aonde "nada combina com nada" e a conversa entre os produtos torna-se uma verdadeira confusão...
Imagem:Galeria do Google
O "copiar" sugere uma grande medida de bom senso estético e certa praticidade. O que faz da cópia, não mais uma cópia, pura e simplesmente, mas uma leitura, do que fora apresentada...
É bom estarmos de olhos e mentes bem abertos, quanto ao que acontece à nossa volta. Seja, no concorrente, ao lado de nossa empresa, ou no que as grandes marcas e criadores internacionais estão fazendo.
Em tempos de competição acirrada, a combinação perfeita entre o estilo e o design, em união com o benchmarking assertivo deve ser exaurida ao extremo, sempre com criatividade e, principalmente, ética....Esta, a meu ver é a que mais falta em nosso setor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seja sempre bem vindo ao meu Blog. Muitíssimo obrigado, pela visita simpática!