quinta-feira, 3 de janeiro de 2013

SERVIÇOS DE MODA NA INTERNET



Imagem: Foto Divulgação
 De todas as inovações que surgiram nos últimos trinta anos, a Internet sem sombra de dúvidas é das maiores. Um marco no mundo atual, conforme pontua Castells (1999), afirmando que “[...] a internet é, acima de tudo, uma criação cultural, pois sugere mudanças nas bases da sociedade moderna”.
Nem o mais experiente analista conseguiria prever o atual patamar do mercado eletrônico brasileiro. E, certamente, não conseguirá fazê-lo, para os próximos anos. A certeza é de que crescerá, ainda mais.
Sua existência está disseminada e influenciando todos os níveis da comunidade mundial, direta e indiretamente, mudando o paradigma da comunicação, em todos os níveis. Pois ao diminuir as distâncias, propaga a informação pelos quatro cantos do mundo, de forma muito rápida, tornando-a acessível a todos e transformando a Terra no “quintal de nossa casa”, na opinião de Fiore (2006).
Entretanto, o principal impacto causado pela rede de computadores, refere-se mais ao seu poder de interação entre quem produz e quem consome bens, tangíveis, na forma de um produto comprado numa loja virtual, por exemplo, ou intangível, quando o assunto for a informação. Neste caso, a moda, em toda sua variabilidade, assume valor preponderante, pois ela (a moda) pode ser pulverizada mais rápida e chegar a um número muito maior de pessoas, fazendo com que, esses atingidos possam lê-la de maneira bem particular, segundo o seu repertório, e transformá-la, também em bens tangíveis. Essa é a magia, e um grande filão de mercado, no que diz respeito à prestação de serviços.
Não à toa, a tecnologia da informação está transformando a nossa economia industrial em uma economia de serviços, assegura Fitzsimmons (2005)
Destarte, conforme conceitua Johnston; Clark (2010) “[...] serviço pode ser usado [...] para avaliar as implicações da mudança de projeto e promover vantagem estratégica. É, exatamente, isso que a rede mundial de computadores está fazendo”. Isso quer dizer que, quando mais a empresa, que fornece serviços pela internet, estiver atenta às mudanças, que acontecem em todo momento na rede, pode redesenhar seu processo de oferta de serviços aos seus consumidores, garantindo certa vantagem, em relação a seus concorrentes.
Devaneios, à parte, os limites estão condicionados à criação de novas formas de interação e infotecnologias, que possibilitarão maior força e o aumento de novas e inéditas possibilidades, para quem for fazer negócio na internet.
Para se ter um panorama do mercado brasileiro, segundo dados da CÂMARA BRASILEIRA DE COMÉRCIO ELETRÔNICO, as vendas na internet no Brasil, estão crescendo exponencialmente.
Hoje, o país já tem 37,6 milhões de consumidores online, sendo que 5,6 milhões de pessoas ingressaram nesse mercado só no primeiro semestre de 2012.
Os brasileiros, em média, estão gastando R$ 346,00 a cada compra pela internet.  Neste ano, só entre os meses janeiro a junho, o comércio eletrônico movimentou R$ 10,2 bilhões no Brasil.
Assim, segundo o último relatório WEBSHOPERS (2012), a expectativa, para o fechamento das vendas no ano de 2012 é um total de R$ 22,5 bilhões, um crescimento nominal de 20% em relação a 2011.
Numa pesquisa feita pelo COMITÊ GESTOR DA INTERNET NO BRASIL, em 2011, sobre o impacto da tecnologia nas empresas, foi percebido que tal interação gerou impactos importantes na relação com o cliente, na melhoria da qualidade dos serviços e/ou produtos ofertados, no crescimento da gama de clientes, na redução de gastos e no aumento do faturamento. E mostrou, também, que a posse de computador e internet nas empresas brasileiras com dez ou mais pessoas ocupadas está praticamente universalizada. Outro dado importantíssimo foi o de que proporção de empresas que realizaram compras pela Internet foi de 60%.
No que diz respeito à assessoria de modelagem industrial, voltada para o segmento jeans, devido à descentralização, pulverização e deslocamento dos grandes centros atacadistas, para pólos regionais, distribuídos em todo o país, vislumbra-se um norte animador.
Assim abre-se um caminho vasto, para o setor de vestuário, na prestação de serviços on line, e de como pode se dar essa interação, buscando-se a produtividade na oferta desse tipo de produto.
Nesse sentido, apesar de abarcar um sem fim de consumidores em potencial, a internet também solicita aos prestadores de serviços virtuais, especialmente os de moda, que segmentem ao máximo os seus produtos e definam, categoricamente, quem e quais são seus nichos de mercado, para possam, efetivamente, vislumbrar um horizonte favorável, no que concerne ao fornecimento de um produto, que cale mais fundo aos seus consumidores, e atenda às suas mais recônditas necessidades, do tipo, de que se o desempenho ficar à altura de suas expectativas, fica satisfeito. Se o desempenho exceder as expectativas, fica encantado (KOTLER; ARMSTRONG, 2005).

Um comentário:

  1. Eu gostaria mesmo é de ver seus videos ensinando passo a passo a esquadrar modelos.pena que nãovejo mais.abraços.

    ResponderExcluir

Seja sempre bem vindo ao meu Blog. Muitíssimo obrigado, pela visita simpática!